Nossas redes:

Religião

Qual a diferença de cristão, protestante, evangélico e crente

Publicado em


Já parou pra pensar qual a diferença de cristão, protestante, evangélico e crente?

Se perguntarmos a uma pessoa em nossa igreja se ela é cristã, crente, protestante ou evangélica, ela ficará confusa por um tempo. Ao tentar responder, algumas pessoas vão enfatizar a diferença entre os termos, e algumas pessoas vão dizer que é a mesma coisa, mas há muita confusão.


Segundo o Dr. Prof. Mendonça, que é um excelente pesquisador do protestantismo, principalmente do protestantismo no Brasil, na Europa e nos Estados Unidos, cristãos, católicos e não católicos se identificam como cristãos de acordo com o ramo a que pertencem.

Como acho este tópico muito interessante e curioso, compartilhei as condições e o significado desses termos na época neste breve artigo.

Cristão: Esta expressão já é mencionada na Bíblia (Atos 11:26; 26,28; 1Pe 4,16). De acordo com alguns estudiosos do Novo Testamento, este termo tem sido usado desde 44 DC, quando os eventos descritos em Atos 11:26 aconteceram. Outro texto que prova que o termo foi usado no primeiro século é Atos 26:28, quando Herodes Agripa II, a mais alta autoridade local, disse a Paulo: “Você me convenceu com relutância a me tornar cristão.” Portanto, desde o início da Síria. de Antioquia (44 DC), aqueles que seguem a Cristo podem ser chamados de cristãos.

Protestante: Esta palavra vem do alemão e significa uma declaração pública de protesto. Foi usada pelos príncipes luteranos para se opor à decisão do Conselho de Speyer em 1529, que reafirmou a Lei do Verme de 1521 e baniu 95 artigos de Lutero. Tese. Não se aplica aos próprios reformadores, mas aos movimentos contra a igreja oficial. Este termo ganhou um forte significado depreciativo e preconceito no catolicismo.

Evangélico: Termo cunhado pelo movimento evangélico. Esse movimento surgiu na Europa no início do século 19 e depois se expandiu para os Estados Unidos. Ele foi uma reação ao expansionismo extremo do montalismo do catolicismo. Diante desse poder católico, os protestantes se uniram por meio de alianças e alianças para fortalecer alguns princípios doutrinários comuns que os ajudam a lutar contra o movimento. Pode ser chamada de “frente única” dos evangélicos. A autoidentificação dos “evangélicos” é pessoal, o que significa o compromisso da pessoa com este conjunto de princípios doutrinários. Antes de o indivíduo pertencer a uma denominação, ele era “evangélico”.

Crentes: Ao contrário de muitos imaginam que esta expressão significa crentes, no contexto do protestantismo brasileiro, tem o significado de seita e preconceito. Foi apresentado por missionários norte-americanos (missionários protestantes), que disseram que “esta pessoa agora é um verdadeiro crente”, a fim de determinar quem se juntou à sua seita. Em outras palavras, ele é uma pessoa que abandonou suas antigas crenças e costumes religiosos (catolicismo) e verdadeiramente “converteu-se” à nova doutrina.

Embora esses termos tenham significados específicos e momentos históricos claros, parece haver uma explicação que pode mudar o interior de nossas comunidades e cultivar o bom senso. Ouso dizer que muitas pessoas definem expressões como esta:

Conceito de cristão: Aqueles que seguem a Cristo.

Conceito de protestantes:  Estas são as igrejas mais antigas; Preconceito – aqueles que protestam contra Deus.

Conceito de crentes: A pessoa que acredita; Evangélicos pobres em preconceito.

Esses termos precisam ser compreendidos e avaliados a partir de seu contexto (sitz em leben). Portanto, essa pessoa pode ser considerada cristã, protestante, evangélica, crente e (metodista, presbiteriana, assembléia geral, etc.).

Estes nomes carregam muitas tradições e histórias. Portanto, se bem compreendidos e utilizados, esses conceitos podem ser de grande ajuda para nós. Espero ter ajudado!


Religião

Amarração amorosa funciona? O que é?

Publicado em

on

por:

CONTINUAR LENDO

EM ALTA